Fonte: Somar Meteorologia
Menu:

SOMAR Meteorologia - El Niño/La Niña


 
Tendência para El Niño e La Niña


Elaboração: 15/01/2021

RESUMO: La Nia comea a enfraquecer at o final do vero ANLISE: Em atualizao em 14 de janeiro de 2021, a Agncia de Meteorologia e Oceanografia Norte Americana (NOAA) manteve a presena de um La Nia, o terceiro mais intenso nos ltimos 20 anos. Na ltima medio, a temperatura do Oceano Pacfico equatorial central estava na casa de -1,1C, mas enfraqueceu ligeiramente no Oceano Pacfico equatorial leste. Vale lembrar que o fenmeno mais intenso teve desvio de at -1,7C em 2010. Cabe uma observao sobre as guas do Oceano Atlntico, que esto com valores acima do normal na costa do Sul e do Sudeste do Brasil, o que vem potencializando temporais em ambas as Regies. No entanto, como caracterstico de anos de La Nia, as chuvas so mais irregulares. A tendncia projetada pela NOAA para o trimestre janeiro-fevereiro-maro ainda de um fenmeno La Nia com 95% de probabilidade, com uma transio potencial para neutralidade durante o outono de 2021 (55% de chance durante abril-maio-junho). Essa projeo conversa tambm com as simulaes do IRI da Universidade de Colmbia. Vale lembrar que estamos vivenciando neste ms de janeiro o pice do fenmeno, que deve comear a perder fora nos prximos meses. Embora o fenmeno La Nia deva prosseguir at pelo menos o ms de abril, seus efeitos na atmosfera sero vistos at meados de 2021, especialmente no Norte e Nordeste, com chuva acima da mdia. Alis, de acordo com o IRI, para o trimestre janeiro-fevereiro-maro, h previso de chuva abaixo da mdia no Paran e maior parte do Rio Grande do Sul, alm do sul do Paraguai, todo o Uruguai e centro e norte da Argentina. Ou seja, embora tenha voltado a chover mais frequentemente sobre Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paran, ainda h risco de cortes abruptos da precipitao e estiagens regionalizadas a partir de fevereiro, sobretudo no oeste do Rio Grande do Sul. Por outro lado, a divisa do estado gacho com o catarinense tende a ter episdios de chuva ainda volumosa. Na maior parte do Sudeste e Centro-Oeste, o trimestre normalmente mais chuvoso do ano receber precipitao entre a mdia e abaixo da mdia, o que indica que as invernadas tpicas da poca do ano no sero to duradouras. Destaque para a costa paulista e fluminense, que recebero chuvas acima da mdia segundo projeo do IRI. O rgo indica queda na projeo de chuva para o Nordeste ao longo do vero, possivelmente associada a bloqueios atmosfricos. No Norte, a previso de chuva acima do normal especialmente entre Roraima e Amap, por conta da Zona de Convergncia Intertropical. Entre abril e junho de 2021, o mapa de probabilidade de chuva do IRI mantm um perodo com chuva abaixo da mdia no Sul. A novidade que partes de So Paulo (oeste, centro e sul do Estado) e o sul de Mato Grosso do Sul tambm tero chuva abaixo da mdia, algo comum sob La Nia entre o fim do vero e incio do outono. Por outro lado, o La Nia deixar o incio do outono mais chuvoso entre oeste de Minas Gerais, Gois e Mato Grosso. Trata-se de outra caracterstica do La Nia: a chuva demora a regularizar na primavera, mas costuma postergar no outono. No possvel, no entanto, afirmar se haver total compensao da falta de chuva da primavera e do outono mais mido, j que a estiagem foi prolongada em 2020. No Nordeste, o IRI aponta para chuva abaixo da mdia sobretudo na faixa norte. Por fim, boa parte da Regio Norte permanece sob chuva acima da mdia. Um primeiro efeito do trmino do La Nia ser visto apenas no fim de maio, quando h previso da primeira onda de frio com potencial para geadas na Regio Sul e no sul dos Estados de So Paulo e de Mato Grosso do Sul. Muitos acreditam que o La Nia aumenta o risco de geadas, mas no. Apesar das ondas de frio mais fortes, elas no costumam avanar pelo interior do Brasil. O risco de geada costuma ser maior sob neutralidade climtica (sem El Nio ou La Nia).