Fonte: Somar Meteorologia
Menu:

SOMAR Meteorologia - El Niño/La Niña


 
Tendência para El Niño e La Niña


Elaboração: 18/08/2015

TSM - NOAA DESTAQUE: "El Nio mais forte j registrado" e seu efeito no Brasil ANLISE: Nas ltimas semanas, vrias notcias sobre o fenmeno El Nio foram publicadas. Em todas, especialistas afirmam que o aquecimento previsto para 2015 poder ser o mais intenso, batendo o desvio de +2,3C registrado no segundo semestre de 1997, e que os seus efeitos seriam significativos na atmosfera de todo o globo. Existem dois lados da histria: um ocenico e outro atmosfrico. No oceano Pacfico equatorial central, chamado de Nio3.4, realmente a gua est bastante quente. Neste momento, o desvio de +1C, igual ao observado em mesmo perodo de 1997. E como a simulao indica que esta rea do Pacfico esquentar ainda mais nos prximos meses, com desvio passando de 2,5C, acredita-se que este fenmeno seja o mais forte desde pelo menos 1950. E a comea um primeiro questionamento. A prpria NOAA afirma que sua simulao vem superestimando a intensidade dos ltimos El Nios. Lembramos que h uma oscilao de 30 anos chamada de Oscilao Interdecadal do Pacfico (ODP) e neste momento estamos na fase negativa. Na fase negativa, temos mais La Nias que El Nios. E quando h um El Nio neste perodo negativo, normalmente ele mais fraco e menos duradouro se comparado com o perodo positivo. A simulao da NOAA foi concebida h algumas dcadas atrs, quando a fase ainda era positiva. Acredita-se que ela no tenha se "adaptado" ao novo perodo. Com isto, a simulao vem superestimando sistematicamente os aquecimentos. A prpria NOAA adverte sobre este problema. Ento, pode ser que o aquecimento previsto para o fim de 2015 no seja to forte. Teremos que aguardar. Outra questo gira em torno da prpria ODP e da atmosfera. A atmosfera no vem respondendo aos aquecimentos como antigamente. No Sul do Brasil, depois dos temporais de julho, a Regio passou por um perodo seco e quente que no comum nesta poca do ano. Nos El Nios antigos era normal a Regio Sul ter de 20 a 25 dias com chuva em cada ms. No existiam trguas como as atuais. Alm disso, na ndia tambm vem chovendo forte, algo incomum para um ano de El Nio. Por outro lado, na Califrnia, choveu forte em julho, a sim, algo comum para El Nios. Ou seja, os efeitos deste aquecimento so vistos de forma parcial, em algumas partes do globo. Portanto, no basta aquecer o oceano. importante que a atmosfera tambm seja influenciada e responda a este aquecimento. Para o Brasil, apesar de tudo, acreditamos em um padro de distribuio de chuva parecido com anos de El Nio: chuva acima da mdia no Sul (porm sem extremos duradouros) e um retorno mais gradativo da chuva para o Sudeste e Centro-Oeste comparado com o ano passado, lembrando que em 2014, a distribuio da chuva oscilou bastante durante a primavera. Mais para o fim do ano, apesar da expectativa de um Pacfico equatorial central bastante quente, veremos diminuio da temperatura no Pacfico equatorial leste (Nio 1+2). E isto poder aumentar a oscilao da chuva no Brasil. Boa parte do globo mais influenciada pela regio central do Pacfico. Entretanto, no Brasil, percebemos que a rea leste, mais prxima da Amrica do Sul, influencia tanto ou mais que a regio central. E a tendncia de resfriamento poder abrir margem para os fatores intrassazonais como bloqueios atmosfricos e a Oscilao Madden Julian, fenmenos que foram importantes para explicar a seca dos ltimos anos no Sudeste.